busca

Marvel anuncia mais títulos da Iniciativa Fresh Start

Após anunciar a iniciativa Fresh Start, que será uma retomada aos conceitos clássicos da editora, e a nova revista dos Vingadores,  por Jason Aaron e Ed McGuinness, a Marvel anunciou quatro novas revistas dessa nova fase:

[Cuidado. As sinopses adiante contêm spoilers]

Criado por Donny Cates e Geoff Shaw na edição #13 da revista Thanos, o Motoqueiro Fantasma Cósmico vai ganhar uma minissérie. O personagem é a versão futurista do Justiceiro de uma realidade alternativa, onde Thanos finalmente derrotou todos os heróis. Para enfrentar o Thanos de igual para igual, Castle fez um pacto com Mefisto e se transformou no novo Motoqueiro Fantasma, mas logo se junta ao Titã louco. Escrita por Cates, a minissérie promete explicar como Frank Castle enlouqueceu e assumiu o posto do Espirito da Vingança. A Marvel ainda não anunciou o artista e a data de lançamento da minissérie.

Outro personagem que vai ganhar uma minissérie é Jamie Madrox, o Homem Multiplo. Escrita por Matthew Rosenberg e desenhada por Andy MaCdonald, a minissérie em cinco partes vai mostrar a volta do personagem, dado como morto na saga “Morte do X”, em 2017. Em uma entrevista para o Comic Book Resources, Rosenberg disse que a HQ começa “Com alguém achando Jamie não muito morto. Então, o mistério de por que ele não está morto e como pode se salvar é a grande força motriz da história”. O autor também confirmou a presença de personagens clássicos do X-Factor de Peter David, mas disse que não vai mostrar Layla Miller, esposa do Jaime, por enquanto. A previsão de lançamento é para o mês de julho.

Saindo diretamente das páginas da saga Avengers: No Surrender, Bruce Banner e o Hulk original retornam em uma nova revista mensal. The Immortal Hulk #1 tem roteiros de Al Ewing e arte de Joe Bennet. Segundo Ewing, a revista será uma HQ de horror, dando destaque ao Hulk como um monstro imortal e à personalidade conflitante de Banner. Alguns personagens que devem aparecer no título são Jackie McGee, repórter que surgiu no seriado do Hulk dos anos 70, e Sasquatch, membro da Tropa Alfa. A HQ tem previsão de lançamento para junho, com o prólogo a ser publicado em Avengers #684, de março.

Por fim, a Marvel anunciou a nova equipe criativa da revista do Thor. Estrelado novamente por Odinson, a HQ do personagem continua roteirizada por Jason Aaron, que conta agora com a arte de Mike Del Mundo. A nova fase do herói vai mostrar o Deus do Trovão atrás de artefatos de Asgard, que estão espalhados por toda a terra. O vilão inicial será o Fanático, enquanto o plot envolvendo a Guerra dos Reinos e as repercussões do arco “A Morte da Poderosa Thor” continuaram em desenvolvimento. “Por um lado, eu ainda sinto que estou escrevendo a mesma história de Thor que começei há seis anos nas páginas de Thor: Deus do Torvão # 1”, disse Aaron à Marvel.com. “Mas, ao mesmo tempo, Deus do Trovão [primeira HQ do Aaron do personagem] tinha um visual e uma sensação muito diferentes do que a história de Jane Foster. E mesmo que Thor Odinson esteja agora recuperando seu manto, este novo volume também irá em uma direção muito diferente. Thor tem um status-quo completamente novo”. Thor#1, de Jason Aaron e Mike del Mundo tem a previsão de lançamento para 13 de julho.

 


Justiceiro, 1ª Temporada – O Frank Castle que nós merecíamos?

Depois de sua elogiada presença na segunda temporada de Demolidor, os fãs do Justiceiro começaram uma forte campanha para ver uma série solo do anti-herói na Netflix, e não demorou para que a Marvel e o canal de streaming oficializassem a produção. A expectativa de um retorno triunfal de Jon Bernthal na pele de Frank Castle era algo que podia muito bem acabar se tornando um tiro pela culatra, mas graças a um roteiro acurado repleto de cenas e momentos empolgantes e cativantes, a primeira temporada de Justiceiro pode ser considerada facilmente uma das melhores séries da parceria Marvel/Netflix.

Na trama, após os eventos apresentados na segunda temporada de Demolidor, Frank Castle termina de exterminar até o último homem que ele acreditava estar envolvido no assassinato de sua família. Mas após um período de calmaria, ao qual o ex-fuzileiro não consegue se adaptar muito bem, Frank descobre que o assassinato de seus familiares pode ter relação com seus antigos companheiros de forças armadas e uma operação secreta da qual participara. Tais informações levam Castle a retomar sua busca por punição aos envolvidos, mesmo que muitos deles sejam seus antigos parceiros de armas.

O primeiro episódio de Justiceiro já mostra logo de cara a que veio, apresentando Castle se afundando em traumas e problemas, tendo dificuldade para se encaixar num mundo onde suas habilidades adquiridas na guerra não são mais necessárias, principalmente agora que sua caçada terminou. E é em uma das cenas mais violentas da série, ao final do episódio, que Frank começa a perceber que morte e punição fazem parte de quem ele é. Uma realidade da qual ele jamais poderá fugir.

Mas a série acerta em cheio mesmo ao não apenas explorar os traumas de Castle, mas também o de outras pessoas que precisam se encaixar a realidade de uma vida ordinária após anos servindo seu país. Tal posicionamento dá um senso ainda maior de veracidade e drama a série, dando vez e voz aos homens e mulheres que doaram ao seu país sua honra, suas vidas e sua lealdade, mas nunca receberam sequer um agradecimento. O caso mais explorado em questão é o de Lewis Wilson (Daniel Weber), que, ao não conseguir se recuperar de seus traumas, acaba perdendo a sanidade e se tornando um inimigo da sociedade e de si mesmo. Uma pena que ao elevar o jovem de transtornado a vilão para a série, o drama de Lewis perca um pouco de seu senso crível.

Apesar disso, os demais vilões de Justiceiro, Billy Russo (Ben Barnes) e Willian Rawlins (Paul Schulze),  são convincentes e bastante significativos. Suas ligações com Castle e seu passado em momento algum se mostram superficiais, fazendo desse background algo que por muitas vezes faz a série encontrar seu rumo, servindo como uma espécie de linha guia para ações do anti-herói.


A série também é competente ao retratar o modo como Frank tem receio de se relacionar com novas pessoas, e ao mesmo tempo falha miseravelmente ao avaliar o caráter daqueles ligados ao seu passado. Mesmo assim, a parceria com Micro (Ebon Moss-Bachrach) é mostrada de maneira convincente, e é animador ver como tal amizade vai progredindo ao longo dos episódios de maneira natural. Porém, um ponto negativo da série vem justamente dessa relação, visto que ao retratar o envolvimento de Frank com a família de seu novo parceiro, a trama acaba se tornando maçante em certas ocasiões, se estendendo de maneira desnecessária. Mas isso também pode ser explicado pela estrutura padrão de 13 episódios, comum a todas as séries solo da parceria Marvel/Netflix, algo que muitas vezes obriga os roteiristas a ficarem dando voltas e voltas até chegar ao ponto desejado. E é ao chegar a esse ponto, em sua parte final, que a série realmente entrega uma conclusão primorosa.


Explorando de maneira brilhante os fantasmas de Castle, e as verdade sobre quem ele realmente é e se recusa a admitir (algo só visto antes em HQs como Born de Garth Ennis e na fase de Jason Aaron no personagem), os quatro últimos episódios do show entregam uma trama afinada e repleta de emoções, reflexões e, é claro, tiros e muito sangue. A direção não tem medo de mostrar a brutalidade com que Castle derruba seus rivais, às vezes sem nem ao menos se importar com sua saúde física e mental, desde que isso o faça alcançar seu objetivo. É nessas cenas que Jon Bernthal parece ter encontrado o personagem de sua vida, e se entrega de corpo e alma aos traumas, trejeitos e paranoias de Frank Castle. É como ver um músico compondo sua grande obra, com a diferença que ao invés de instrumentos e acordes, esse homem usa armamento pesado e muito sangue e vísceras.


Ao praticamente não ligar Justiceiro às demais séries da Marvel/Netflix (em momento nenhum Demolidor ou qualquer outro herói é mencionado no show), o canal de streaming nos entrega uma produção redonda e bem amarrada, que, apesar de uma pequena barriga, não torna em momento algum sua maratona de episódios algo desinteressante. O Justiceiro da Netflix faz toda a espera pela sua primeira temporada valer a pena, nos apresentando um Frank Castle quebrado e atormentado, porém com um senso de justiça e dever implacável e sanguinário. Tudo aquilo que nós queríamos, e merecíamos.

Título Nacional: O Justiceiro – 1ª Temporada
Título Original: The Punisher – Season One
Direção: Andy Goddard, Tom Shankland, Antonio Campos, Kevin Hook, entre outros.
Roteiro: Steve Lightfoot, Angela LaManna, Ken Kristensen, entre outros.
Ano de Lançamento: 2017
Nota do Resenhista: 4,5 (de 5)

 


Marvel anuncia retorno de Adam Warlock

A Marvel confirmou o retorno de Adan Warlock, um dos personagens cósmicos mais importantes da editora, na edição #150 de Guardians of the Galaxy.

Os detalhes de sua volta só serão revelados no painel Next Big da Marvel, na New York Comic Con, que ocorrerá nessa quinta-feira, 5, mas a editora já adiantou que o retorno de Adam Warlock está relacionado as Joias do Infinito.

Com o roteiro de Gerry Duggan, arte de Aaron Kuder e Marcus To e a capa de Alex Ross, Guardians of the Galaxy #150 tem previsão de lançamento nos Estados Unidos para janeiro de 2018.


Cavaleiro da Lua ganha vilão à altura em Legacy

O roteirista Max Bemis, que será responsável pela fase do Cavaleiro da Lua em Marvel Legacy, afirmou que a partir da edição #188 em novembro, o personagem ganhará um novo e, na visão dele, definitivo vilão em sua HQ.

Bemis explicou um pouco de sua visão sobre o assunto. “Essa é primeira história que estamos contando, e eu espero criar o inimigo definitivo para o Cavaleiro da Lua. Eu sei que ele tem alguns vilões, mas eu ainda sinto, agora que estamos conversado sobre isso, que se ele é uma espécie de Batman, ele não tem o seu Coringa – ainda não”, disse o roteirista.

Bemis segue seu ponto de vista, mais adiante na entrevista. “O que eu estou fazendo, mais do que focar tanto nas batalhas internas do personagem, e trazê-lo contra alguns cenários extremamente intensos e reveladores, e entre meio a isso enfrentar o supremo vilão, que é seu oposto em praticamente todos os sentidos”, afirma o escritor.

Além de Max Bemis, a equipe criativa também irá contar com os desenhos e as cores de Jacen Burrows, que irá seguir alguns dos aspectos de seus trabalhos anteriores na Marvel, mas em um contexto mais específico para o vigilante. “Eu acho que a abordagem moderna vista em Cavaleiro da Lua tem sido fantástica. Graças a Warren Ellis e toda a fase de Jeff Lemire, parece que o título faz o público se sentir convidado a explorar a psique humana dessas incríveis tramas. Os leitores podem continuar esperando por isso sem preocupar com algo abalado,” disse Burrows.

Moon Knight #188 chega às bancas norte-americanas e plataformas digitais em novembro de 2017.


Marvel vai lançar HQ digital de Thor e Hulk

Aproveitando o hype do novo filme do Thor,  a Marvel divulgou a minissérie Thor e Hulk: Champions Of The Universe, de Jeremy Whitley, Simone Buanfantino e Alti Firmansyah para ComiXology e Kindle.

A minissérie em seis edições vai mostrar o deus do trovão e o golias esmeralda em uma épica batalha para ver quem é o herói mais poderoso da Terra.

Essa é a segunda HQ com lançamento exclusivamente digital: a primeira é o novo título do Punho de Ferro por  Kaare Andrews e  Afu Chan, anunciada na SDCC 2017.

Tanto a minissérie de Thor e Hulk como o novo título do Punho de Ferro vão ganhar encadernados físicos após a conclusão de suas histórias.

Thor e Hulk: Champions Of The Universe tem previsão de lançamento para 2018.


Garth Ennis e Goran Parlov retornam ao Justiceiro

Em uma entrevista exclusiva para o site Newsarama, Garth Ennis e Goran Parlov anunciaram a minissérie em seis partes “Punisher: The Platoon”, resgatando o selo MAX da Marvel, destinado para HQs adultas.

“Punisher: The Platoon” é um prequel da minissérie “Born”, lançada em 2003, que mostra Frank Castle liderando um pelotão durante o fim da guerra no Vietnã, e mostra que, mesmo antes do assassinato de sua família, Castle já era uma máquina de matar. A nova minissérie vai detalhar a sua primeira missão no país, bem como a sua primeira morte.

Durante a entrevista, Ennis e Parlov disseram que a minissérie vai mostrar um Frank Castle mais novo, mas preservando todas as características da sua passagem no selo MAX. “Dado que Born foi situado durante a terceira missão de Frank no Vietnã, eu sabia que, eventualmente, gostaria de voltar e examinar sua primeira e segunda, apenas para nos dar uma melhor impressão do caminho que o leva até a base Valley Forge. […] Quanto às primeiras mortes e assim por diante, a história tem algo a dizer sobre isso – sobre o que queremos saber, ou talvez o que pensamos ter o direito de saber”, disse Ennis. Ao ser questionado se a HQ tem alguma relação com o famoso filme de guerra “Platoon”, dirigido por Oliver Stone em 1987, Ennis disse que o nome é apenas uma coincidência, e que seu filme de guerra favorito sobre o Vietnã é “Full Metal Jacket”, de Stanley Kubrick.

Questionado sobre o tom da HQ, Parlov disse que a história vai retratar bem e mal em tons de cinza: “O inimigo não é retratado como o mal puro que espera do outro lado. Eles são humanos reais com muitas camadas, com seus problemas reais e questões cotidianas – questões com as quais todos podemos nos relacionar.”

“Punisher: The Platoon” tem previsão de lançamento para outubro nos Estados Unidos.


Marvel anuncia elenco da série dos Novos Guerreiros

Na tarde desta segunda-feira, 10, a Marvel anunciou oficialmente o elenco que irá compor sua nova série televisiva, New Warriors, que estreia no ano que vem nos EUA.

A série cômica terá como principal protagonista a Garota Esquilo (Dorren Green), papel que ficará com a atriz Milana Vayntrub, mais conhecida por sua participação na série This Is Us.

Se juntam a ela como membros do supergrupo o ator Derek Theler, no papel de Senhor Imortal, Jeremy Tardy, como Radical, Calum Worthy, como Speedball, Matthew Moy, no papel de Micróbio e Kate Comer, vivendo a personagem escombro.

New Warriors será a primeira série de TV da Marvel focada gênero comédia. Segundo a sinopse da produção, a primeira temporada terá 10 episódios baseados na vida de seis jovens heróis, aprendendo a lidar com seus poderes em um mundo onde vilões podem ser tão aterrorizantes quanto encontros desastrosos.

A série está prevista para estrear em abril do ano que vem pelo canal americano Freeform, que também será responsável pela produção e transmissão da série Manto e Adaga.


Marvel vai lançar prequel de Rogue One

Sucesso de público e crítica, o primeiro spin-off da série de filmes Star Wars vai ganhar uma HQ protagonizada por Cassian e o androide mal-humorado K-2SO. Star Wars – Rogue One: Cassian & K-2SO será um prequel de 40 páginas com roteiro de Duane Swierczynski e desenhos de Fernando Blanco, mostrando como Cassian e K-2SO se conheceram.

Com capa de Julian Totino, Star Wars – Rogue One: Cassian & K-2SO tem previsão de lançamento para agosto.


Sony anuncia Tom Hardy como o Venom dos cinemas

Na tarde desta sexta-feira, 19, a Sony Pictures oficializou através de seu twitter que Tom Hardy, o Bane de Cavaleiro das Trevas Ressurge, protagonizará o filme solo do vilão Venom. A produção foi anunciada oficialmente dois meses atrás e, diferente de Homem-Aranha: De Volta ao Lar, o filme não terá ligações com o MCU (Marvel Cinematic Universe).

Segundo o The Hollywood Reporter, além de Hardy, a Sony está em negociações finais com o diretor Ruben Fleischer (Zumbilândia) para comandar o spin-off. No longa, Hardy viverá Eddie Brock, que nos quadrinhos é um colega de trabalho de Peter Parker no Clarim Diário. Após Peter se livrar no uniforme negro simbionte e da má influência que ele causava sobre o herói, Brock acaba tendo contato com o material e se torna o vilão Venom.

Venom já apareceu nos cinemas em Homem-Aranha 3, de 2007, na época vivido pelo ator Topher Grace. Essa não é a primeira vez que a Sony tenta trazer às telas grandes uma aventura solo do personagem, sendo que um anúncio havia sido feito em 2013, mas a produção foi descontinuada após o cancelamento da segunda trilogia do Homem-Aranha nos cinemas, dirigida por Marc Webb, e a fusão da franquia com a Marvel Studios.

Venom será roteirizado por Scott Rosenberg e Jeff Pinkner, e está agendado para estrear no dia 05 de outubro de 2018 nos EUA.


Marvel anuncia edição extra de Secret Empire

Nessa última quarta-feira, 17, a Marvel Comics anunciou que o seu atual mega evento, Secret Empire, irá ganhar uma edição extra para facilitar sua conclusão. Escrita por Nick Spencer, antes a trama estava programada para encerrar na edição #9, e agora irá concluir na edição #10.

Tom Brevoort, editor da Marvel, explicou o porquê da decisão. “Nick Spencer está construindo cada edição de Secret Empire para que ela se encerre com uma climática reviravolta, ou uma grande revelação em um desenvolvimento chocante, a edição #9 não é uma exceção. Então, movendo o final para a edição #10, os heróis ao longo do Universo Marvel serão arrastados a um ponto de ruptura, enquanto aceleramos para o excitante clímax que estamos planejando a meses. Oh, e me deixe dizer isso de novo: Nós não iremos usar o cubo cósmico para simplesmente desfazer tudo – As consequências importam, talvez mais do que elas já importaram antes,” disse o editor.

Essa é a terceira vez consecutiva que um mega evento da Marvel ganha uma edição extra durante sua publicação, tendo acontecido anteriormente com Secret Wars e Civil War II. A Marvel reiterou que nenhuma mudança está sendo feita em relação aos planos de Spencer para a conclusão da trama, e que esse número extra irá permitir que o cataclísmico final da história se execute como planejado.

É possível perceber que o logo que se encontra na capa divulgada pela Marvel para a edição #10, aparece borrado e com a palavra “classified” o cobrindo. A Marvel anunciou na C2E2 que a interação do escudo do Capitão América com o símbolo da Hidra que aparece nas capas irá alterar a cada edição, seguindo o progresso da história.

A edição extra de Secret Empire, com roteiro de Nick Spencer e arte de Steve McNiven, está agendada para ser lançada em agosto nos EUA, e irá encerrar o evento que balançou o mundo dos quadrinhos ao mostrar Steve Rogers à frente da Hidra. Atualmente a série já teve duas edições publicadas nas bancas norte-americanas, além da edição de número #0.


Redação Multiverso é o site colaborativo de produção de conteúdo sobre quadrinhos
da Produtora Multiverso, em uma iniciativa paralela e complementar à realização da
ComicCON RS – principal convenção de quadrinhos e cultura pop do Rio Grande do Sul.